Por : Maria do Carmo Nóbrega

Em solenidade realizada no dia 22 de outubro, em Cartagena-Colômbia, na qual estavam presentes líderes de entidades e profissionais da contabilidade da América Latina, a contadora Maria Clara Cavalcante Bugarim assumiu a Presidência da Associação Interamericana de Contabilidade (AIC) para o biênio (2019/2021).

Como primeira mulher a ocupar o cargo, Maria Clara deu início ao seu discurso de posse agradecendo, primeiramente, a Deus e aos seus pares, pela plena confiança em sua capacidade de dirigir uma entidade tão respeitada em nível mundial. Ainda, entre os principais agradecimentos, Maria Clara manifestou seu apreço aos anfitriões, aos organismos patrocinadores, ao ex-presidente da entidade Cornélio Porras, “que tão bem conduziu os destinos desta Associação”, e aos presidentes Zulmir Ivânio Breda, do CFC; In-Ki Joo, da Ifac; Philippe Arraou, do Cilea; e Jorge Gil, do Glenif.

Felicitou ainda todos os ex-presidentes da AIC e seus contadores beneméritos, afirmando que não estará sozinha, “pois contarei com o imprescindível e total apoio do Comitê Executivo, trabalhando lado a lado em torno da operacionalização das ações da AIC”, com o objetivo de promover uma integração harmônica das organizações parceiras e transformar a AIC em uma voz forte no continente latino-americano.

Outra pauta não menos importante que também foi evidenciada pela nova presidente da AIC é a concentração de esforços na busca de ferramentas eficazes para o combate à corrupção. Segundo ela, “estamos cada vez mais comprometidos e empenhados em banir de nossa sociedade essa chaga que acomete várias nações e que tanto impede o desenvolvimento e aumenta a desigualdade social”, e os profissionais da contabilidade “são reconhecidamente os agentes de transformação para obtenção dos princípios de integridade organizacional e da defesa do interesse público”.

Maria Clara também falou da grandeza da profissão contábil, que conseguiu reagir e acompanhar cada transformação, de modo on-line, fazendo o seu upgrade de tempos em tempos. “Ao usufruirmos dos benefícios trazidos pela evolução do pensamento, com a abertura de mercado, tecnologia, globalização, expansão e oportunidades, conseguimos transcender as paredes dos escritórios e conquistamos o justo e merecido lugar entre as maiores profissões do mundo”.

 

Ao final de sua fala, Maria Clara afirmou que “chego a esta importante Associação para somar e dar o meu melhor contributo. Jamais me furtarei de servir a minha classe. Enquanto eu tiver vitalidade para dedicar o meu trabalho aos meus pares estarei sempre pronta com todo o meu coração”.

 

 

Corroborando o pensamento da presidente da AIC, o presidente da Ifac, In-Ki Joo, falou da importância da integração para o fortalecimento e desenvolvimento social e econômico dos países; parabenizou a América Latina pela padronização das normas internacionais de contabilidade; e afirmou que o combate à corrupção precisa ser intensificado. “É importante destacar que os avanços em transparência e em novos modelos de prestação de contas, como o Relato Integrado, é uma das estratégias para a melhoria das economias dos países, principalmente da América Latina”, afirmou.

Zulmir Breda, por sua vez, disse que a AIC vem protagonizando o despertar da cultura de resgate de valores, “incentivando os países latino-americanos a adotarem boas práticas de transparência, acesso à informação e responsabilidade social corporativa”. Disse ainda se orgulhar do Brasil ao ter uma profissional do quilate de Maria Clara à frente de uma organização internacional, tendo a certeza de que ela “desenvolverá e difundirá as boas práticas no combate à corrupção na América Latina e no Caribe, para que os países possam melhorar seus níveis de desenvolvimento econômico e social”.